Notícias Locais

Carga de bebidas furtada por estelionatários após golpe em MS é apreendida em MT

Dono de distribuidora no CPA, em Cuiabá, foi preso em flagrante e autuado por receptação. Os produtos teriam sido retirados de um supermercado atacadista em Três Lagoas (MS). Bebida seria proveniente de estelionato cometido em MS Polícia Civil-MT Uma carga de bebida que seria fruto de estelionato foi aprendida, na quinta-feira (19), em uma distribuidora de bebidas no bairro CPA, em Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, o produto teria sido retirado de um supermercado atacadista, em Campo Grande (MS). O dono do estabelecimento, um homem, de 30 anos, cujo nome não foi divulgado, foi preso em flagrante e autuado por receptação. A polícia chegou ao local do crime, após informações obtidas durante investigações realizadas pela Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. Na distribuidora os policiais encontraram 60 unidades de Whisky e 336 caixas de latas de cerveja. À polícia, o comerciante alegou que guardou a mercadoria para uma pessoa, porém, não sabia onde encontrá-lo. Ele mostrou aos policiais as mensagens trocadas, por meio de aplicativo, com a pessoa que havia feito o pedido. De acordo com a polícia, as conversas comprovaram que o dono da distribuidora sabia a origem da carga e que era proveniente de estelionato. Vizinhos do estabelecimento disseram aos policiais que era frequente a chegada de cargas suspeitas no local. Após a prisão, o comerciante teria confessado que parte da carga ficaria na distribuidora e seria vendida a preços promocionais. Parte da carga de bebida recuperada pela polícia Polícia Civil-MT O golpe De acordo com a polícia, os golpistas, que agiam na cidade de Três Lagoas (MS), tiveram acesso a cadastros de clientes que costumavam comprar bebidas em grande quantidade. Eles ligaram para o supermercado com o nome do cliente cadastrado e solicitava a carga. Para não levantar suspeita quanto ao endereço onde a carga deveria ser entregue, eles diziam que os produtos seriam retirados no supermercado e assim, as bebidas eram entregues. No entanto, a conta era direcionada para o cliente que estava no cadastro.

Viva bons momentos com a sua família no Norte Sul Plaza

Com academia, cinema, clínica de diagnostico, supermercado e maior Praça de Alimentação da cidade, o shopping reúne opções de compras, lazer e diversão para toda família Inaugurado em maio de 2011, o Norte Sul Plaza é um shopping com arquitetura moderna e arrojada, que segue a tendência lifestyle ao utilizar iluminação natural nas praças do mall. Está localizado a apenas 2 km do Centro, atendendo completamente a região mais populosa da cidade! É acessível, proporcionando maior conforto aos clientes, como um dos poucos shoppings do Brasil projetado com a preocupação de fazer da sua área um espaço de livre acesso para todos. O empreendimento dispõe de banheiros adaptados com informações em braile, piso tátil nas calçadas e mais de 90 vagas exclusivas para idosos e portadores de necessidades especiais. De acordo com as pesquisas, o Norte Sul Plaza é considerado o Shopping mais acolhedor e simpático da cidade, onde mais de 600.000 frequentadores por mês usufruem da vasta gama de lojas, serviços, lazer e a maior Praça de Alimentação do Estado. É referência em promoções nas datas de varejo e liquidações, sempre com as melhores premiações da cidade e forte mídia de massa, tornando-se a primeira opção na compra do consumidor morador da grande área de influência composta por mais de 350 mil pessoas. No mix, trouxe grandes marcas para Mato Grosso do Sul como: Etna, Centauro Sports, Magic Games, Burguer King, Smart Fit e Cinépolis. São mais de 150 lojas, sendo 9 âncoras, 8 megalojas, rede Cinépolis de cinema, com sete salas stadium sendo três com tecnologia 3D e a maior praça de alimentação do Estado, com 1.400 lugares e 25 operações. Oferecemos: supermercado, agência de viagem, lotérica, farmácia, salão de beleza, caixas eletrônicos e muito mais. FICHA TÉCNICA 37.820 M² DE ABL 9 LOJAS ÂNCORAS 8 MEGALOJAS 160 LOJAS 1 ACADEMIA Mega Praça de Alimentação com 1000 lugares e 25 operações 7 salas de cinema (Cinépolis) em formato stadium, sendo 3 salas com tecnologia 3D 1400 vagas de estacionamento, sendo 400 cobertas Serviço O Norte Sul Plaza está localizado na Avenida Ernesto Geisel, 2300, Jockey Clube. Mais informações pelo telefone 3044-3900. Acompanhe as ações e horários de funcionamento do shopping no site www.nortesulplaza.com.br e nas redes sociais @nortesulplaza.

Quadrilha presa em operação policial usava Uberlândia como centro logístico de drogas

Mais de dez toneladas de maconha e skunk foram apreendidas em seis meses de investigação. Doze pessoas estão presas. Mais de dez toneladas de maconha e skunk foram apreendidas em seis meses de investigação Ficco Uberlândia/Divulgação A operação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais (Ficco) de Uberlândia, que resultou na apreensão de cerca de 700 Kg de maconha e skunk na MG-497 nesta terça (17), identificou que a quadrilha de traficantes utilizava a cidade como um centro logístico para a distribuição da droga para a região e outros estados brasileiros. Quadrilha presa em Uberlândia usava a cidade como centro logístico de drogas Em coletiva de imprensa na sede da Polícia Federal, na manhã desta quarta-feira (18), o delegado-chefe Carlos Henrique Cotta D’Ângelo esclareceu sobre a investigação e a forma que os integrantes da organização criminosa atuavam. “Há seis meses nós identificamos uma organização que significava uma estrutura logística aqui em Uberlândia. Eles iam até o Mato Grosso do Sul, trazia a droga, acondicionava e depois entregava àqueles que encomendavam”, comentou D’Ângelo. A droga era estocada em dois imóveis na zona rural de Uberlândia e, em seguida, revendida a traficantes do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Durante o período de investigação, foram realizados sete flagrantes que resultaram na apreensão de mais de dez toneladas de drogas em Uberlândia, Barbacena e Dourados (MS). Além disso, 12 pessoas foram presas e permanecem nas unidades prisionais das respectivas cidades. Duas delas eram chefes da organização criminosa e estão detidas no Presídio Professor Jacy de Assis em Uberlândia. A operação foi realizada em conjunto com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e a Polícia Civil de Uberlândia Caroline Aleixo/G1 Os presos vão responder por tráfico de drogas e organização criminosa. Os trabalhos de investigação continuam com o apoio das instituições que compõem a Ficco para identificar outros integrantes do grupo. A operação foi realizada em conjunto com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e a Polícia Civil de Uberlândia. “O modelo da Ficco uberlandense é um modelo a ser seguido a nível nacional. Conseguimos mostrar que com poucos recursos consegue se fazer um trabalho muito eficaz no combate à criminalidade”, disse o delegado regional da Polícia Civil, Luciano Alves. Mais de seis toneladas apreendidas Na operação deflagrada nesta terça-feira, a Ficco apreendeu grande quantidade de maconha e skunk em Uberlândia e prendeu o homem que fazia o transporte das substâncias. No MS, foram mais seis toneladas apreendidas e quatro presos suspeitos de integrar a quadrilha. De acordo com a inspetora da PRF, Jane Santos, uma equipe de policiais rodoviários da cidade se deslocou até o estado mato-grossense para efetuar a abordagem dos envolvidos. “Recebemos a informação da Ficco e, junto a equipes da PRF de lá, nós acompanhamos a movimentação para fazer a abordagem dos elementos com a droga. Uma transportadora foi contratada para trazer uma mudança de lá para Uberlândia. A droga estava em caixas misturada com alguns móveis antigos”. Droga era trazida do MS para Uberlândia Ficco/Divulgação

Filha de casal capixaba morto em acidente em MS respira sem aparelhos

Informação está no boletim do Hospital Santa Casa de Campo Grande (MS), onde ela está internada desde o dia do acidente. Ainda não há previsão de transferência e nem de alta. Quadro de saúde da menina do ES que perdeu os pais em acidente é estável, diz hospital A filha de um casal do Espírito Santo morto em um acidente no Mato Grosso do Sul, onde a família passava férias, respira sem a ajuda de aparelhos e está comunicativa, conforme informou o último boletim do Hospital Santa Casa de Campo Grande (MS) nesta quarta-feira (18). Entretanto, segundo a equipe médica, ainda é cedo para fazer uma transferência para uma unidade capixaba. Helora Maria Soares Brandão, de quatro anos, continua internada no CTI pediátrico fazendo uso de antibióticos e passando por exames. Há quatro dias, ela passou por uma cirurgia de correção de fraturas de fêmures (direito e esquerdo). O quadro de saúde dela é estável e ela está consciente. De acordo com o hospital, ela já está se alimentando via oral. A sedação foi retirada há dois dias. Ainda não há previsão de transferência da paciente e nem de alta, segundo os médicos. A justificativa é de que ela teve uma fratura muito importante nos fêmures e precisa de rigoroso acompanhamento ortopédico. Acidente entre dois carros na BR-060 próximo a Sidrolândia Michelle Machado/TV Morena O acidente que vitimou os pais da menina aconteceu na tarde desta sexta-feira (13), na BR-060, a cerca de 30 quilômetros da capital Campo Grande. O carro onde a família estava bateu de frente com outro veículo, conduzido por uma médica. Segundo a polícia, Henrique Manoel Gomes Brandão, de 40 anos, e a mulher, Mery Ângela Soares Brandão, de 43 anos, morreram no local. Além da criança, a médica também ficou ferida. Eles haviam ido para o Mato Grosso do Sul em uma viagem de férias. Chegaram ao estado de avião e então alugaram o carro. O destino final era a cidade de Bonito, mas não conseguiram chegar até lá. Helora, de quatro anos, está internado na Santa Casa do Mato Grosso do Sul Arquivo Pessoal

PF deflagra operação para combater golpes por celular depois de clonagem de telefones de ministros

Objetivo da ação é desarticular grupo que aplica golpes pelo WhatsApp. Em março, os ministros Eliseu Padilha (MDB-RS) e Carlos Marun (MDB-MS) tiveram celulares clonados. PF prende quadrilha que clonou celular de políticos e pedia dinheiro em nome deles A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (17) operação para desarticular grupo que clonava números de telefone para aplicar golpes por meio do aplicativo WhatsApp, de troca instantânea de mensagens. A ação é desdobramento de um pedido de investigação que partiu de ministros do governo Michel Temer depois de terem telefones celulares clonados. Em março deste ano, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo) e o ex-ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social), todos do MDB, tiveram os telefones fraudados e pediram investigação policial sobre o caso. Segundo os relatos dos ministros, mensagens foram enviadas aos contatos deles por meio do aplicativo WhatsApp com pedidos de depósitos bancários. Na operação desta terça, batizada de Swindle, que significa "fraude" em inglês, policiais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva no Maranhão e em Mato Grosso do Sul. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Brasília. De acordo com investigadores, com os números clonados, os agentes criminosos usavam contas de WhatsApp de autoridades públicas e solicitavam transferências bancárias das pessoas da lista de contatos do telefone alvo de fraude. A polícia investiga os crimes de estelionato e associação criminosa. Prisões Quatro suspeitos de integrar o grupo que aplicava golpes pelo WhatsApp foram presos durante a operação em São Luís, no Maranhão. Segundo o delegado do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Odilardo Muniz, dentre os presos está Leonel Silva Pires Júnior que seria o chefe da organização. De acordo com o delegado, Leonel Silva Pires Júnior será interrogado e encaminhado ainda nesta terça para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital.

Suspeito preso em shopping é investigado por assaltos a instituições financeiras no PI, MA e MT

Segundo o Grupo de Repressão ao Crime Organizado, ele é investigado por roubos a instituições financeiras em três estados. Suspeito foi preso em um shopping depois de ter sido reconhecido. Segundo a polícia, suspeito participou do assalto a agência do Banco do Brasil de Amarante em 2016. Denison Duarte/SomosNoticia.com Márcio Alencar Dutra, 31 anos, é investigado por uma série de assaltos a instituições financeiras no Piauí e em outros estados, afirmou nesta segunda-feira (16) o coordenador de Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), delegado Willame Moraes. O suspeito foi preso em um shopping de Teresina no sábado (14) quando foi reconhecido por um policial. “Ele participou do assalto do banco na cidade de Amarante, em 2016, e mais recentemente de outro assalto a instituição financeira em Presidente Dutra, no Maranhão. Também agia no Mato Grosso. As outras ações dele, em outras cidades do Piauí, não vamos citar agora porque temos mais investigados com pedido de prisão em aberto e para não atrapalhar as investigações não vamos citar no momento”, informou o delegado. Delegado Willame Moraes, coordenador do Greco Lucas Marreiros/G1 PI Segundo o coordenador do Greco, Márcio Dutra estava atuando com outros grupos criminosos, depois de ter perdido integrantes dele. “Depois do assalto em Amarante, três foram mortos em confronto com a polícia no Maranhão e dois foram presos. Ele passou a agir com outras quadrilhas aqui no Piauí, porque a dele já tinha quase todos os integrantes mortos”, afirmou Willame Moares. O suspeito possuía quatro mandados de prisão de quatro estados em aberto. Ele tinha sido preso em 2016 em Goiás e levado para o Mato Grosso, de onde conseguiu fugir e estava foragido desde então. Agora ele fica à disposição da Justiça e deverá responder pelos crimes de roubo, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e uso de material explosivo.

Criança do ES que ficou órfã em acidente no MS segue internada no CTI

Menina de quatro anos teve contusão pulmonar e várias fraturas. O estado de saúde é grave, segundo a Santa Casa de Campo Grande (MS). A filha de um casal do Espírito Santo morto em um acidente no Mato Grosso do Sul, onde a família passava férias, continua internada em estado grave no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Santa Casa de Campo Grande (MS). A menina de quatro anos passou por uma cirurgia neste sábado (14). O acidente aconteceu na tarde do de sexta-feira (13), na BR-060, a cerca de 30 quilômetros da capital Campo Grande. O carro onde a família estava bateu de frente com outro veículo, conduzido por uma médica. Segundo a polícia, Henrique Manoel Gomes Brandão, de 40 anos, e a mulher, Mery Ângela Soares Brandão, de 43 anos, morreram no local. A filha deles e a médica ficaram feridas. Acidente entre dois carros na BR-060 próximo a Sidrolândia Michelle Machado/TV Morena A criança está entubada, sedada e sendo medicada com antibióticos, segundo o Hospital Santa Casa. Não há previsão de alta. A previsão é de que os corpos de Henrique e Mery Ângela cheguem ao Espírito Santo na madrugada desta segunda-feira (16). Eles serão levados para o Cemitério Parque da Paz, em Cariacica, onde serão sepultados à tarde. Henrique Brandão era superintendente do Banco do Espírito Santo (Banestes) na região Sul. Mery Ângela Brandão era professora da rede municipal de Vitória.

Indígena é morto ao ser atropelado e ter corpo arremessado contra veículos na MS-156

Segundo a polícia, um dos carros envolvidos estava a serviço da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Camionete usada por empresa a serviço da Sesai em Paranhos Vilson Nascimento/A Gazetanews Um indígena de 24 anos foi morto na MS-156, em Amambai, depois de ser atropelado por uma camionete a serviço da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e ter o corpo arremessado contra um veículo que estava no sentido contrário. O coordenador da Sesai Fernando Souza informou ao G1 que o motorista é funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço à secretaria em Paranhos (MS) e havia ido à Amambai para abastecer e estava retornando. A Sesai aguarda as investigações da polícia e da empresa terceirizada. Segundo o registro policial, o acidente aconteceu no fim da tarde de sábado (14) e o Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, mas a vítima não resistiu aos ferimentos. O carro da Sesai era conduzido por um indígena de 36 anos. Outro veículo envolvido no acidente que morreu indígena de 24 anos Vilson Nascimento/A Gazetanews Por causa da morte do jovem, um grupo de indígenas se aglomerou e alguns com os ânimos alterados, bloquearam a rodovia e tentaram linchar os condutores dos veículos envolvidos. Para controlar a situação foi necessário a presença da Polícia Militar, Polícia Ambiental e do Departamento de Operações de Fronteira (DOF). As pistas foram desbloqueadas com ajuda do capitão da aldeia, Paulo Isidoro, e do vice-capitão, Adão Benites. O caso foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor na Delegacia de Polícia de Amambai.

Suspeito de lucrar R$ 100 mil por mês com contrabandos é preso com R$ 600 mil em eletrônicos ilícitos, em Goiânia

Polícia Civil informou que produtos eram comprados no Paraguai e vendidos em Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná. Eletrônicos no valor de R$ 600 mil apreendidos com empresário preso por contrabando Reprodução/Polícia Civil A Polícia Civil prendeu, neste sábado (14), um empresário suspeito de vender eletrônicos contrabandeados no setor Campinas, em Goiânia. A corporação apreendeu com ele mercadorias que, somadas, valem até R$ 600 mil e seriam vendidas em Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná, de acordo com as investigações. O G1 não conseguiu identificar a defesa do empresário para pedir um posicionamento sobre a prisão. Equipes da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) ficaram observando a casa e o comércio do investigado desde sexta-feira (13) até localizarem e prenderem o homem. Segundo a corporação, a apuração teve apoio da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, que informou aos policiais de Goiás que o empresário contrabandeava os eletrônicos para vendas nos dois estados e ainda no Paraná. Eletrônicos contrabandeados do Paraguai que seriam vendidos em Goiânia Reprodução/Polícia Civil “Esse cara estava sendo monitorado pela polícia do MS porque ele comprava produtos no Paraguai, vendia um pouco lá, um pouco no Paraná e trazia maioria para cá, para vender em Goiânia. Essas mercadorias eram vendidas aqui de forma não tributada e a preços aquém do mercado”, explicou o delegado Alexandre Bruno, um dos responsáveis pela ação. Entre os produtos revendidos pelo empresário, segundo a Polícia Civil, estão televisores, celulares, entre outros. No momento da prisão, a corporação apreendeu com ele: 66 iPhones, 33 Apple Watches, 21 receptores digitais para aparelhos de TV, 7 iPads, 11 fones e 8 caixas acústicas. No mercado, os celulares têm preços que variam de R$ 1 mil até R$ 4 mil. Os relógios (Apple Watches), também podem custar até R$ 2 mil. No caso dos receptores, eles podem ser encontrados por até R$ 300, assim como os fones. As caixinhas de som, no entanto, podem custar até R$ 1 mil. Já os iPads valem cerca de R$ 2 mil cada. Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Casal capixaba que morreu na BR-060 passava férias no Mato Grosso do Sul

A filha do casal, de cinco anos, foi levada para um hospital da região em estado grave. Henrique Brandão era funcionário do Banestes, em Cachoeiro de Itapemirim. Dois carros bateram de frente na BR-060, em Cidrolândia, Mato Grosso do Sul. Michelle Machado/TV Morena O superintendente do Banestes da região Sul do Espírito Santo morreu em um acidente em Mato Grosso do Sul, nesta sexta-feira (13). Henrique Brandão passava férias com a família. A esposa dele também morreu e a filha do casal ficou gravemente ferida. A menina de cinco anos sofreu um traumatismo craniâno e várias fraturas pelo corpo. Ela foi internada no setor de Ortopedia para o Centro de Terapia Intensiva (CTI), da Santa Casa de Campo Grande, e o estado de saúde é grave. O acidente envolveu dois carros e aconteceu na BR-060, em Sidrolândia, a cerca de 30 quilômetros da capital mato grossense Campo Grande. O carro do casal capixaba foi parar em um matagal após a batida. Henrique tinha 40 anos e Mary Angela Soares Brandão, 43. Eles morreram no local. Ele trabalhava no Banestes e havia se mudado para Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, no fim de 2017. A família havia chegado na sexta-feira em Mato Grosso do Sul e, provavelmente, alugou o carro para seguir viagem. No outro carro envolvido no acidente estava uma médica de Campo Grande, que voltava para casa. Ela sofreu ferimentos leves e foi socorrida em uma unidade de saúde. A suspeita é de que um dos carros tenha tentado fazer uma ultrapassagem. Os veículos bateram de frente. Ainda não há informações sobre quando os corpos da vítimas vão ser levadas para o Espírito Santo. O Banestes lamentou o falecimento do superintendente Henrique Brandão e da esposa. “O Banco manifesta o sentimento de solidariedade à dor da família e também dos amigos do trabalho, onde ele atuou por mais de 10 anos”, diz a nota.

Polícia faz operação para prender quadrilha que traficava droga de MS para MT

Três integrantes da quadrilha já estão presos e ordenavam os crimes de dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá. Operação Spot apreendeu droga em Cuiabá Polícia Civil de MT A Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) de Mato Grosso realiza nesta sexta-feira (13) a Operação 'Spot'. Operação Spot deve cumprir 37 mandados em Mato Grosso Cristina Mayumi/TV Centro América No total são 37 mandados, entre eles 13 de prisão contra uma organização criminosa responsável por transportar droga de Mato Grosso do Sul para Mato Grosso e também distribuir o entorpecente pra bocas de fumo. Foram três meses de investigações que identificaram dois núcleos operacionais: um era responsável por organizar o transporte da droga e contratar veículos e caminhões. Operação 'Spot' O outro núcleo era responsável pela redistribuição da droga pra bocas de fumo e usuários. Três integrantes da quadrilha já estão presos e ordenavam os crimes de dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá. Operação Spot Ao longo das investigações foram apreendidas quase duas toneladas de maconha, que seriam distribuídas por essa quadrilha. Spot Na logística, as negociações de pagamento de frete normalmente são realizadas por meio de contratos em longo prazo com um ou mais fornecedores de transporte. Contudo, existe outra modalidade que também pode ser explorada pelos embarcadores, conhecida como logística Spot, que refere-se a ‘local’, outras vezes a ‘imediato’, em tradução livre do inglês para o português. Está relacionado a uma situação de mercado que envolve o pagamento à vista, com entrega imediata do produto ou serviço. Por isso, quando se fala em Spot para logística, entende-se que é preciso envolver outra transportadora no serviço de entrega rápida para atender a demanda. Veja mais informações sobre a região no G1 MT.

Mãe biológica pega filha na casa dos pais adotivos em MS, foge para MT e é procurada pela polícia

Gleice Mara Dias pegou menina para visita autorizada pela Justiça e não a devolveu. Segundo a advogada, ela teria ido para Rondonópolis e a família não teve mais notícias. Família adotiva não tem notícias da criança desde 30 de junho Arquivo pessoal Gleice Mara Dias, mãe biológica de Maiza Valentina Matos Camargo, de 6 anos, é procurada pela polícia depois de ter pego a filha no dia 30 de junho, com a promessa de devolvê-la aos pais adotivos no dia seguinte. A mulher, entranto, teria fugido para Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, onde mora e não foi mais vista. De acordo com os pais adotivos, que moram am Boa Vista (MS), a suspeita é de que Gleice teria levado a menina para Rondonópolis. No entanto, a polícia foi acionada, esteve na casa da mulher, mas não a encontrou. Não há pistas de onde as mãe e filha possam estar. Ainda segundo a família adotiva, mãe biológica teria entregado espontaneamente a criança ao servidor público João Gomes Carvalho e à mulher dele, Jane Mary Garcia Mattos Carvalho, em 2014. Na época, a menina tinha 2 anos. A menina é filha do irmão de Jane, que foi casado com Gleice por quatro anos. Quando o casal se separou, nenhum dos dois queria ficar com a menina. Gleice, então, teria procurado Jane pedindo para que ela ficasse com a criança. De acordo com eles, a mãe biológica dizia que queria entregar a menina, porque tinha a intenção de se mudar para Portugal. Em outubro do ano passado, João e Jane conseguiram a guarda definitiva de Maiza. Mas, no início de 2018, Gleice procurou a Justiça para revogar a decisão e ter a filha de volta, o que foi negado em primeira instância. Após a derrota, la ingressou com processo para ter direito de visitar Maiza, o que foi concedido. A primeira visita autorizada foi no dia 30 junho, quando ela desapareceu levando a filha. A família adotiva registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, que contatou a polícia de Mato Grosso para investigar o caso. Gleice havia contratado a advogada Ingrydys Hananda Mingoti para defendê-la no processo, que inclusive, esteve na casa dos pais adotivos no dia da visita. Nota divulgada pela ex advogada da mãe biológica Facebook Por meio de uma nota publicada em rede social, a advogada alega que deixou o caso e não atua mais na defesa de Gleice. Entretanto, ela afirmou que, assim que pegou a menina, a mãe biológica decidiu que não ia devolvê-la. Ainda segundo a nota, mesmo sendo orientada pela advogada a não tomar tal atitude, Gleice teria levado a menina para Rondonópolis, onde mora. João e Jane estiveram em Rondonópolis na tentativa de encontrar alguma pista. Eles conversaram com o atual marido de Gleice, que é suspeito de ter dado apoio na fuga, mas ele disse não saber do paradeiro das duas. Tanto o marido de Gleice, quanto a advogada foram ouvidos pela polícia, que continua investigando o caso.

Polícia prende 'estuprador em série' que atacou oito crianças em Cuiabá

Homem conhecido como 'maníaco da moto' confessou sete dos oito crimes. Vítimas, com idades entre 7 e 12 anos, foram atacadas a caminho da escola. Cid Mauro da Silva, de 45 anos, era conhecido como ‘maníaco da moto’ e classificado como estuprador em série Polícia Civil de MT/Assessoria Um homem investigado pela autoria de, pelo menos, oito estupros contra crianças foi preso pela Delegacia Especializada de Defesa da Criança e Adolescente (Deddica), em Cuiabá. Cid Mauro da Silva, de 45 anos, era conhecido como ‘maníaco da moto’ e classificado como estuprador em série. As vítimas, com idades entre 7 e 12 anos, foram atacadas a caminho da escola, entre 2014 e 2018. Ele teve a prisão temporária decretada pela Justiça e foi preso na segunda-feira (9) quando fazia uma visita no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). A prisão dele foi divulgada nesta quarta-feira (11). Cid Mauro da Silva, de 45 anos, era conhecido como ‘maníaco da moto’ e classificado como estuprador em série em Cuiabá Polícia Civil de MT/Assessoria Segundo a Deddica, o suspeito foi interrogado na terça-feira (10). Ele confessou a autoria de sete estupros – dos oito a ele atribuídos – e apontou com riqueza de detalhes suas ações criminosas. Ele disse à polícia que as vítimas eram levadas para região da Ponte de Ferro, em Cuiabá, onde eram violentadas sexualmente e depois deixadas próximo às casas delas. Para o delegado Daniel Lemos Valente, ele é classificado como maníaco por ‘agir de maneira cirúrgica, em uma mesma região geográfica (Grande Morada da Serra: bairros Doutor Fábio, Novo Paraíso, região do Barreiro Branco, próximo ao Lixão). Ainda, ele escolhia vítimas crianças dos sete aos 12 anos de idade em situação de vulnerabilidade e desacompanhadas dos pais ou responsáveis. Ainda conforme a Deddica, em algumas oportunidades o suspeito oferecia para as crianças pequenas quantias em dinheiro ou presentes para que subissem na motocicleta dele. Em outras situações ele ameaçava e até agredia as vítimas para que seguissem com ele. Cid era procurado desde 2014, época que começou a fazer as vítimas em Cuiabá, prosseguindo nos anos seguintes. Em razão da idade precoce das vítimas, e a dificuldade delas de apontar detalhes que auxiliassem os trabalhos de investigação, a identificação do suspeito foi dificultada. Retrato falado do estuprador chegou a ser divulgado pela Polícia Civil o que auxiliou os trabalhos de identificação Polícia Civil de MT/Assessoria Um retrato falado do estuprador chegou a ser divulgado pela Polícia Civil o que auxiliou os trabalhos de identificação. Investigação Em 2018, Cid Mauro agiu novamente. Na ocasião, a vítima relatou que ele usava a camisa de uma empresa de turismo que fechou suas portas no ano passado. A equipe de investigadores da Deddica localizou a antiga proprietária que forneceu a lista dos funcionários do estabelecimento, possibilitando a qualificação do estuprador. Foram localizadas e apreendidas com ele a camiseta da empresa de turismo, a motocicleta utilizada por ele para abordar as vítimas. Cid Mauro foi encaminhado para audiência de custódia, onde a prisão temporária foi convertida em preventiva. O suspeito possuía outros dois mandados de prisão em aberto na cidade de Campo Grande (MS). Os dois mandados eram pelo crime de estupro, sendo um deles contra uma vítima criança. Veja mais informações sobre a região no G1 MT.

'Morreu fazendo o que mais gosta', diz amigo de peão morto pisoteado durante rodeio em MS

Jovem estava no auge da carreira e tinha 24 anos. Ele morreu em um rodeio na cidade de Paranaíba (MS) onde morava com a família. Peão morre pisoteado por boi durante rodeio em MS Amigo do peão pisoteado durante rodeio em Mato Grosso do Sul no domingo (8), Roberto Rivelino afirmou que Uéliton Flávio de Oliveira, de 24 anos, "morreu fazendo o que mais gosta". O torneio acontecia em Paranaíba, a 407 quilometros de Campo Grande. O peão tinha planos de conquitar títulos nacionais e participar de provas mundiais. De acordo com o tio de Uéliton, Rafael Ferreira Ramos, ele tinha o sonho de montar em arenas fora do país. “O sonho dele era monta e chegar nos Estados Unidos. A família está desesperada nesse momento, mas o pai e mãe dele não gostava que ele montava. Mas era o que ele queria”, explica. Uéliton é natural do interior do estado de São Paulo e foi morar em Paranaíba (MS) ainda quando criança, quando aprendeu a montar. Relembre o caso O peão foi pisoteado na cabeça por um touro durante o Rodeio de Paranaíba (MS) morreu por parada cardiorrespiratória, segundo um dos bombeiros civis que atuava no evento e prestou atendimento à vítima. Uéliton Flávio de Oliveira, de 24 anos, era de Santa Fé do Sul (SP), mas estava morando em Paranaíba e participava da semifinal do rodeio quando o acidente aconteceu. O profissional Diego Henrique conta que Uéliton desceu do touro depois dos oito segundos obrigatórios na competição e, em seguida, foi atingido na cabeça por uma das patas traseiras do animal. O peão estava usando capacete e colete, itens obrigatórios de segurança.

Três suspeitos de roubos em Corumbá são mortos em troca de tiros com a PM

Segundo a polícia, grupo atirou contra militares, que revidaram. Tudo aconteceu em morro de mata fechada. Três suspeitos de roubos de motocicletas foram mortos pela Polícia Militar (PM) na tarde de segunda-feira (9), em Corumbá, a 415 quilômetros de Campo Grande, no Pantanal de Mato Grosso do Sul. De acordo com informações do boletim de ocorrência, um trabalhador que seguia para casa pela estrada da Bocaina, foi abordado por três suspeitos que saíram repentinamente do matagal. O homem de 42 anos acionou a PM e disse que os bandidos estavam armados com revólveres, faca tinham os rostos cobertos por panos. Os bandidos não conseguiram levar a moto da vítima, pois, no susto, ela acelerou a moto e conseguiu evitar o roubo. Os policiais já sabiam que estavam ocorrendo vários roubos de moto na região e seguiram para o local. Eles entraram no matagal em busca dos suspeitos e em um determinado momento viram que quatro rapazes armados e com rostos cobertos por panos se aproximaram. Conforme o registro policial, os militares deram ordem de prisão aos suspeitos, que reagiram com tiros. Os policiais revidaram e quando viram que os tiros tinham cessado se aproximaram e viram que os jovens estavam feridos e que um deles, um que portava arma longa, tinha fugido. Segundo o boletim de ocorrência, os policiais chamaram socorro e desceram com os feridos até o pé do morro para facilitar o atendimento, pois o local onde estavam era de mata fechada e com pedras soltas. Quando chegaram no pé do morro, foi verificado que os suspeitos estavam mortos. Eles foram reconhecidos pelos familiares como sendo: Fabiano Ronaldo Franco, de 19 anos; Renato de Pinho Ruiz, de 26 anos; e Thiago Júnior Valentin Tertuliano, de 22. Ainda de acordo com a polícia, com os suspeitos foram apreendidos um revólver calibre 38 com 5 munições deflagradas, um inox com 3 munições deflagradas e três picotadas, um calibre 22 com 6 deflagradas e ainda uma faca tipo açougueiro. O homem que havia avisado a polícia sobre a tentativa de roubo reconheceu as armas apreendidas e os panos usados para esconder o rosto como sendo dos rapazes que o abordaram. O caso foi registrado como tentativa de roubo e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial.

Peão pisoteado por touro em rodeio morreu após parada cardiorrespiratória, diz bombeiro

Jovem, de Santa Fé do Sul (SP), tinha 24 anos e participava de um rodeio em Paranaíba (MS) quando o acidente aconteceu. Peão pisoteado por touro em rodeio morreu após parada cardiorrespiratória O peão pisoteado na cabeça por um touro durante o Rodeio de Paranaíba (MS) morreu por parada cardiorrespiratória, segundo um dos bombeiros civis que atuava no evento e prestou atendimento à vítima. Uéliton Flávio de Oliveira, de 24 anos, era de Santa Fé do Sul (SP), mas estava morando em Paranaíba e participava da semifinal do rodeio, na noite de domingo (8), quando o acidente aconteceu. O profissional, Diego Henrique, conta que Uéliton desceu do touro depois dos oito segundos obrigatórios na competição e, em seguida, foi atingido na cabeça por uma das patas traseiras do animal. O peão estava usando capacete e colete, itens obrigatórios de segurança. (Veja o vídeo acima) "De imediato, a equipe dos bombeiros entrou na arena e, ao chegar ao local, constatamos que ele estava com sangramento na boca, ouvido, nariz e também com a face machucada por causa da tela do capacete", lembra Diego, em entrevista ao G1. Uéliton Flávio de Oliveira morreu pisoteado por um touro em Paranaíba (MS) Reprodução "Ele foi estabilizado na prancha ainda com vida, socorrido até a ambulância e levado ao pronto-socorro da cidade. Apesar do sangramento e traumatismo craniano encefálico avançado, foi no PS que ele teve uma parada cardiorrespiratória e foi constatada a morte." O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Paranaíba e é investigado pela Polícia Civil da cidade em sigilo. Caso grave Diego é designado para atuar em rodeios como socorrista e brigadista de incêndio com frequência. No entanto, o profissional afirma que, apesar da experiência em atendimento a peões, considera o acidente de Uéliton o mais grave até agora. "Eu já tinha socorrido outros peões em rodeios. Direto tem acidentes, mas em um rodeio foi a primeira vez que atendi um caso de tamanha gravidade", conta. Por telefone, a organização da Expopar Paranaíba lamentou o acidente e disse que está prestando auxílio aos familiares de Uéliton. Peão morreu após ser atingido por touro em rodeio Expopar Paranaíba/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba

Após início de inverno quente, frio chega a MS e semana começa com temperaturas abaixo de 10°C

Segundo o Inmet, previsão de possibilidade de chuva em áreas isoladas no oeste e sul do estado na segunda-feira (9). Final de tarde em Campo Grande com céu limpo e temperatura acima dos 30°C Juliene Katayama/G1 MS O inverno começou no dia 21 de junho, mas o frio em Mato Grosso do Sul só deve chegar na próxima semana com temperaturas abaixo de 10°C. A previsão do tempo para segunda-feira (9) ainda é de possibilidade de chuva em áreas isoladas no oeste e sul do estado. Nas demais áreas, o tempo deve ficar parcialmente nublado. Apesar disso, a umidade relativa do ar pode atingir 40%, abaixo do índice recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Ponta Porã, município no sul do estado, a temperatura mínima prevista para segunda é de 10°C e a máxima não deve passar dos 14°C. Já na terça-feira (10), o frio ficará mais intenso com os termômetros variando entre 7°C e 18°C. Na região oeste, em Porto Murtinho, o tempo encoberto vai manter as temperaturas entre 13°C e 17°C no início da semana. A mínima cai para 11°C, mas a máxima sobe para 20°C na terça-feira. Ao leste e norte, a queda de temperatura não será tão brusca. Em Três Lagoas, a oscilação será de 16°C a 26°C no início da semana. Em Coxim, na segunda-feira, os termômetros marcarão mínima de 14°C e máxima de 20°C e, no dia seguinte, a varriação deverá ficar entre 15°C e 21°C. Na capital sul-mato-grossense, o dia nublado vai derrubar a máxima em 10°C e deve chegar a 20°C. A mínima vai chegar a 14°C na segunda e 12°C na terça.

Com investimentos de R$ 675 milhões fábrica de MDF, em Água Clara, chega para 'brigar' com gigantes do setor

Greenplac foi inaugurada essa semana. Em fase inicial indústria deve produzir 250 mil metros cúbicos de MDF por ano. Grupo investiu R$ 600 milhões na construção do complexo, em Água Clara. Edevaldo Nascimento O complexo industrial construído às margens da BR 262, chama a atenção pelo tamanho. São 510 mil metros quadrados e uma linha de produção automatizada de meio quilômetro de extensão. Projetada para ser uma das mais modernas do país, é a primeira do Centro-Oeste nesse segmento. A fábrica, que fica em Água Clara, região leste de MS, contratou 290 trabalhadores e vai funcionar 24 horas por dia. O processo de produção é complexo e combina várias tecnologias. Assim que chegam do campo, as toras de eucalipto são descascadas e trituradas em pequenos pedaços. A madeira passa por cozimento a vapor para a separação das fibras. Assim é o preparo da massa que vai dar origem ao mdf. A mistura é espalhada sobre uma esteira móvel, formando uma espécie de colchão. “Essa etapa é bastante importante para que eu tenha uma distribuição muito uniforme, o produto final com uma densidade muito boa”, explica Edson Engel, gerente de produção da Greenplac. Madeira é transformada em colchão de fibras Edevaldo Nascimento O colchão de fibras é transportado por esteiras até uma máquina que prensa o material a alta temperatura. São várias etapas até o eucalipto ser transformado em chapas de mdf. Segundo o supervisor de produção, Márcio Grosskopf, tudo é controlado por computadores. “Nós temos armazenados no controlador mais de 2.400 itens, que vão acionar a qualquer momento, se der um alarme ou uma falha na máquina”, diz. O grupo, dono da fábrica, investiu de R$ 600 milhões na construção do complexo. O gerente de marketing diz que a empresa aposta na tecnologia alemã. “Temos o equipamento mais moderno do Brasil pra fabricação do MDF. Isso vai resultar, não só na qualidade, mas também nos custos. Isso nos permite ter uma otimização de todo o processo", garante Marcelo Temóteo. Painéis de MDF são resfriados em sistema giratório antes do corte. Edevaldo Nascimento No início das operações devem ser processados 250 mil metros cúbicos de painéis. Futuramente a empresa deve aumentar essa capacidade com a ampliação da fábrica. Por enquanto toda a produção será destinada ao mercado interno. Mário Gavinho, diretor industrial, conta que o foco será a indústria de móveis. “Nos atraíram as facilidades da região, em termos de transportes para conseguirmos nosso mercado no interior de São Paulo. É um polo moveleiro bastante importante, assim como no interior do Paraná”, explica. Madeira de eucalipto no pátio da fábrica. Grupo investiu R$ 75 milhões no plantio de árvores. Edevaldo Nascimento Para atender a demanda de madeira a empresa investiu, também, R$ 75 milhões no plantio de 12 mil hectares de árvores.

Operação do MPRN contra facção criminosa cumpre mandados em quatro estados; advogado é preso em Natal

Operação foi na manhã desta quinta-feira (5) no Rio Grande do Norte, São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Foram cumpridos 52 mandados de prisão. Advogado foi preso na manhã desta quinta-feira (5) em Natal Divulgação/MPRN O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) iniciou na manhã desta quinta-feira (5) uma operação para combater a atuação de uma facção criminosa dentro e fora de unidades prisionais. Um advogado suspeito de ter sido “batizado” pela facção foi preso em Natal. Ao todo foram cumpridos 52 mandados de prisão. Destes, dois foram na capital potiguar e 21, no interior. Além disso, foram cumpridos nove de busca e apreensão. A ação também foi realizada em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Segundo o MPRN, dos 52 mandados de prisão expedidos, 28 foram cumpridos contra pessoas que já estão presas e que, mesmo assim, continuam praticando crimes. Os demais mandados de prisão foram cumpridos contra foragidos de Justiça, presos do regime semiaberto, alguns inclusive usando tornozeleiras eletrônicas, e pessoas que estavam soltas, entre elas o advogado. O MP também conseguiu, junto à Justiça potiguar, o sequestro do saldo de 57 contas bancárias por haver indícios de origem ilícita dos valores movimentados nas contas, que se encontram bloqueadas. A investigação mostra que o advogado, além do exercício da advocacia, se envolveu com a facção criminosa que nasceu dentro dos presídios paulistas. Ele chegou a solicitar o “batismo” junto à facção a um detento que atualmente cumpre pena no Presídio Estadual de Junqueirópolis, no interior paulista. O detento é um “geral do estado” da facção em São Paulo, tendo a atribuição de manter contato com os demais integrantes do grupo criminoso em outros estados. Por isso a operação foi batizada como Mamulengo, um tipo de fantoche do Nordeste brasileiro, em uma clara referência à subserviência dos integrantes da facção no Rio Grande do Norte às chefias em São Paulo. Por telefone, os chefes paulistas mantêm o controle financeiro, cobram o pagamento de mensalidades com transferências para contas bancárias em outros estados, aceitam ou não o ingresso de novos integrantes e até ordenam crimes, inclusive homicídios, aos integrantes potiguares. Os chefes da facção nos estados do Centro/Sul do país ostentam alto padrão de vida, enquanto os integrantes locais vivem em barracos na periferia, apenas trabalhando e cumprindo ordens repassadas das lideranças de fora, não passando de mera massa de manobra. O controle da facção sobre os integrantes potiguares é tão grande que eles chegaram a enviar uma “irmã” de São Paulo para fiscalizar o apoio que os criminosos do Rio Grande do Norte dão aos familiares da cúpula da organização, que está presa na Penitenciária Federal de Mossoró. A “irmã” também foi presa nesta quinta-feira (5) em Rio Claro, interior paulista. MP apreendeu armas durante a operação Mamulengo no Rio Grande do Norte Divulgação/MPRN Foram os chefes de outros estados que determinaram o último “salve” da facção no Rio Grande do Norte. Entre os dias 2 e 7 de junho passados, 13 ataques a prédios públicos, ônibus e unidades policiais foram registrados em cinco municípios potiguares. Pelo menos um assassinato de policial aconteceu durante o “salve”. As investigações da operação Mamulengo começaram em fevereiro de 2017 com a instauração, em caráter sigiloso, de um procedimento investigatório criminal para apurar a atuação da facção paulista no Rio Grande do Norte, especialmente quanto à responsabilidade criminosa da rebelião registrada em janeiro do ano passado no Presídio Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta. Na rebelião, detentos que estavam no Pavilhão V (Presídio Estadual Rogério Coutinho Madruga), em sua maioria integrantes da facção paulista, invadiram o Pavilhão IV e atingiram os membros de uma facção rival, o que culminou com a morte de pelo menos 26 presos. Para o MPRN, os integrantes da facção criminosa “são nocivos para a sociedade, com práticas reiteradas de crimes, que precisam ser cessadas, a fim de restabelecer a ordem pública”. O MPRN ressalta que, mesmo presos, “integrantes dessa organização criminosa não deixam de articular crimes para serem executados pelos que estão nas ruas, lucrar com atividades ilícitas, determinar as regras dentro do sistema prisional e buscar ter o controle deste em detrimento do Estado”. No Rio Grande do Norte, a operação teve o apoio da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Federal, do Núcleo Especial de Investigação Criminal (Neic) da Polícia Civil e do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc). Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Natal, Parnamirim e Macaíba. Em São Paulo, o mandado de prisão foi cumprido por uma equipe do Gaeco do Ministério Público local. O mesmo aconteceu em Mato Grosso do Sul, onde foram cumpridos três mandados de prisão. Já no Paraná, foi a Polícia Civil que cumpriu o mandado expedido pela Justiça potiguar. Núcleo criminoso De acordo com o MPRN, a investigação aponta a existência dentro da facção criminosa paulista de uma célula denominada de “sintonia dos gravatas”. Ela foi criada inicialmente para prestar serviços exclusivamente jurídicos aos chefes da facção, mas, com o passar dos anos, este núcleo evoluiu e alguns advogados passaram a também servir de elo de comunicação das atividades criminosas entre os chefes presos e aqueles que estão em liberdade. O pagamento desses “serviços” é feito com recursos de origem ilícita da própria organização criminosa obtidos com o lucro do narcotráfico e outros crimes. Para o MPRN, o advogado preso contribuiu e concorreu direta ou indiretamente para o projeto de poder e esquema da facção criminosa. Além dele, há suspeitas de que outros advogados também tenham vínculo com a organização.

Últimos posts
Visitantes nos últimos 30 dias - 3.032.289 | Média Diaria: 101.076